segunda-feira, dezembro 19, 2005

Eu, papel, caneta e "você".

Hoje não penso te escrever

Quero falar sobre tempo,

Sobre crises, sobre céu,

Mar, Terra, estrelas.

Mas minha caneta teima,

Ela quer escrever “você”

Mas resisto, quero falar de...

Angústia, talvez alegria,

De realidade, fantasia.

Mas ela quer “você”

Porém, eu que mando,

E quero liberdade, quem sabe...

Religião, falo até sobre tédio.

Sobre o nada, ou tudo.

O que é abstrato,

Pra tentar me perder,

Pra tentar convence-la,

De hoje, só hoje, não escrever...você.