sexta-feira, maio 12, 2006

Um mundo em poucas letras

É a razão de todo luxo,
motivo pra rodear, ficar tonta,
Justificando todo impulso,
Até saber que não dá mais conta.

Então pra que tentar?
Se daqui não quero sair...
Deixe viver, toca o barco pra lá!
Penso no jeito de lhe ver sorrir.

E no mundo de letras poucas,
onde toda existência é insana,
Não existem sérias, muito menos loucas,
um universo que simpatia e beleza emana.