quarta-feira, dezembro 27, 2006

Certa altura.

Eu quero o tempo voando
Os meus sonhos na mão
a letra mais bonita
pra chorar no refrão

Procuro mudança nos outros
Por gritos que não incomodem
Se é que não podem,
Se é que eles querem.

E no travesseiro confissões
Ilusões que nasceram no bar
com o sono por perto,
qualquer um sabe o que é certo.

Santo quem.

Venha temporal,
abençoe o meu cordel,
luzes, sons, sentimentos
uma ponte do meu céu

vale quanto pesa
fé do devoto na reza
santo é quem se preza

vai tempestade
leva o poeta sem inspiração
que o vento e a brisa gelada
ele sinta no coração

o peso do pranto
faz desconhecer o santo
ninguém acomoda
se a fé não é tanta

Simplicidade com rima fácil.

É indescritível
Aprender com detalhe.
Reparar que tem sempre alguém,
que só o fato de fazer parte de você
lhe faz muito, muito bem.
Sorrir, beber, dançar e sonhar.
Gastar tempo, Ganhar tempo,
Tempo bom, bom de viver,
Bom pra escrever
Por estar feliz, enfim feliz.
De novo.