quarta-feira, dezembro 27, 2006

Santo quem.

Venha temporal,
abençoe o meu cordel,
luzes, sons, sentimentos
uma ponte do meu céu

vale quanto pesa
fé do devoto na reza
santo é quem se preza

vai tempestade
leva o poeta sem inspiração
que o vento e a brisa gelada
ele sinta no coração

o peso do pranto
faz desconhecer o santo
ninguém acomoda
se a fé não é tanta